Empreendedorismo e prática:

O que os empreendedores fazem quando estão empreendendo?

  • Felipe Leal Alves Ferreira Universidade Federal do Paraná
  • Fernando Antonio Prado Gimenez Universidade Federal do Paraná
  • Paulo Otavio Mussi Augusto Pontifícia Universidade Católica do Paraná
  • Daniel Leal Valente Pontifícia Universidade Católica do Paraná
Palavras-chave: Empreendedorismo, empreendedor, prática, estratégia como prática, empreendedorismo como prática

Resumo

Nesta pesquisa buscou-se verificar quais ações são tomadas pelos empreendedores quando estão abrindo um negócio próprio, por meio das categorias práxis, práticas e praticantes do campo da estratégia como prática. Para isso, foram realizadas entrevistas guiadas com quatro empreendedores de Curitiba, Paraná. A análise das respostas foi realizada pela técnica de análise da narrativa e os resultados apontaram, em geral, que o empreender começa na intenção e movimento em ser dono/dona do próprio negócio, numa área com a qual tenha certa afinidade, com a elaboração do plano de negócio, declaração de missão, procura por parcerias, bem como no desenvolvimento de ações básicas das áreas clássicas da Administração - Finanças, Marketing, Produção e Gestão de Pessoas. Nisso, os papéis de empreendedor e gestor se misturam e confundem. Sugere-se que, em pesquisas futuras, outros processos de criação de novas organizações sejam acompanhados, de diferentes regiões, setores e idades de empreendimentos.

Referências

ALDRICH, H. E.; MARTINEZ, M. A. Many are called, but few are chosen: an evolutionary perspective for the study of entrepreneurship. Entrepreneurship Theory and Practice, v. 25, n. 4, p. 41-57, 2001.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. (70 ed.). Lisboa, 1977.

BARTHES, R. et al. Análise Estrutural da Narrativa. (3 ed.). Petrópolis: Vozes, 1973.

BORBA, M. L.; HOELTGEBAUM, M.; SILVEIRA, A. A produção científica em empreendedorismo: análise do academy of management meeting: 1954-2005. RAM. Revista de Administração Mackenzie, v. 12, n. 2, p. 169-206, 2011.

BRUSH, C. G.; MANOLOVA, T. S.; EDELMAN, L. F. Properties of emerging organizations: an empirical test. Journal of Business Venturing, v. 23, n. 5, p. 547-566, 2008.

CANHADA, D.; RESE, N. Contribuições da “estratégia como prática” ao pensamento em estratégia. REBRAE, v. 2, n. 3, p. 273-289, 2009.

CLEGG, S. R.; CARTER, C.; KOMBERGER, M. A "máquina Estratégica": Fundamentos Epistemológicos e Desenvolvimentos em Curso. RAE-Revista de Administração de Empresas, v. 44, n. 4, p. 21-31, 2004.

CORRADI, G.; GHERARDI, S.; VERZELLONI, L. Through the practice lens: where is the bandwagon of practice-based studies heading? Management Learning, v. 41, n. 3, p. 265-283, 2010.

DE CLERQ, D.; VORONOV, M. Toward a practice perspective of entrepreneurship: entrepreneurial leigitmacy as habitus. International Small Business Journal, v. 27, n. 4, p. 395-419, 2009.

GEM. Global Entrepreneurship Monitor. Disponível em < http://www.gemconsortium.org>. Acesso em 10 de setembro de 2013.

JARZABKOWSKI, P.; BALOGUN, J.; SEIDL, D. Strategizing: The challenges of a practice perspective. Human Relations, v. 60, n. 1, p. 5-27, 2007.

JOHANNISSON, B. Towards a practice theory of entrepreneuring. Small Business Economics, v. 36, n. 2, p. 135-150, 2011.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Fundamentos de metodologia de pesquisa. (7. ed). São Paulo: Atlas, 2010.

MARINS, S. R.; DAVEL, Eduardo P. B. Empreendedorismo como prática: empreendedorismo cultural na prática festiva do pagode baiano. Teoria e Prática em Administração, v. 9, n. 2, p. 14-34, 2019.

MIETTINEN, R.; SAMRA-FREDERICKS, D., & YANOW, D. Re-Turn to Practice: An Introductory Essay. Organization Studies, v. 30, n. 12, p. 1309-1327, 2009.

MORRIS, M. H.; KURATKO, D. F.; Schindehutte, M.; Spivack, A. J. Framing the Entrepreneurial Experience. Entrepreneurship Theory and Practice, v. 36, n. 1, p. 11-40, 2012.

RECKWITZ, A. R. Toward a theory of social practices – a development in culturalist theorizing. European Journal of Social Theory, v. 5, n. 2, p. 243-263, 2002.

RICHARDSON, R. J. et al. Pesquisa social: métodos e técnicas. (3 ed.). São Paulo: Atlas, 2007.

SALVADOR, Andressa; TRÉS, Elen Karla; COSTALONGA, Fernando Bom. A estratégia enquanto prática social como alternativa à visão clássica. Mundo Acadêmico, v. 1, n. 1, janeiro/junho, 2009.

SARASVATHY, S. D. Causation and effectuation: toward a theoretical shift from economic inevitability to entrepreneurial contingency. Academy of Management Review, v. 26, n. 2, p, 243-263, 2001.

SARASVATHY, S. D. Effectuation: elements of entrepreneurial expertise. Cheltenham, UK: Edward Elgar, 2008.

SARASVATHY, S. D. The questions we ask and the questions we care about: reformulating some problems in entrepreneurship research. Journal of Business Venturing, v. 19, n. 5, p. 707-717, 2004.

SCHATZKI, T. R.; CETINA, K. K.; SAVIGNY, E. V. The practice turn in contemporary theory. Londres: Routledge, 2001.

SIMPSON, B. Pragmatism, Mead and the Practice Turn. Organization Studies, v. 30, n. 12, p. 1329-1347, 2009.

SOUZA, C. M. L. Entre o planejamento estratégico formal e informal: um estudo de caso exploratório sobre a prática de estratégia nas organizações. Revista de Administração Contemporânea, v. 15, n. 5, p. 855-876, 2011.

WALTER, S. A.; AUGUSTO, P. O. M. (2011). A institucionalização da estratégia como prática nos estudos organizacionais. Revista de Administração (São Paulo), v. 46, n. 4, p. 392-406, 2011.

WHITTINGTON, R. Strategy as practice. Long Range Planning, v. 29, n. 5, p. 731-735, 1996.

WHITTINGTON, R. Estratégia Após o Modernismo: Recuperando a Prática. RAE-Revista de Administração de Empresas, v. 44, n. 4, p. 44-53, 2004.

WHITTINGTON, R. Completing the Practice Turn in Strategy Research. Organization Studies, v. 27, n. 5, p. 613-634, 2006.

WHITTINGTON, R. Strategy Practice and Strategy Process: Family Differences and the Sociological Eye. Organization Studies, v. 28, n. 10, p. 1575-1586, 2007.
Publicado
2022-09-01